Os Bairros da Ilha do Governador | Guia Ilha

Guia Ilha - Os Bairros da Ilha
Os Bairros da Ilha do Governador

Antes de começarmos a falar dos atuais bairros da nossa Ilha devemos saber que até julho/1981 a Ilha do Governador era um único bairro, subdividido em vários sub bairros e que só catorze deles foram elevados à condição de bairros da cidade.
Enquanto um bairro único, a Ilha do Governador era o bairro mais antigo da Cidade do Rio de Janeiro.
Fontes utilizadas: Wikipédia, Ilha Noticias, Multirio.

#01 - Bancários
#02 - Cacuia
#03 - Cocotá
#04 - Freguesia
#05 - Galeão
#06 - Jardim Carioca
#07 - Jardim Guanabara
#08 - Moneró
#09 - Pitangueiras
#10 - Portuguesa
#11 - Praia da Bandeira
#12 - Ribeira
#13 - Tauá
#14 - Zumbi


O bairro dos Bancários

praia dos bancário
Praia dos Bancários | Foto: Abdo Hamdam


O nome Bancários surgiu do conjunto habitacional construído pelo antigo Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Bancários (IAPB), inaugurado em 1953, com cerca de 240 residências.
Já foi conhecido como Jardim Duas Praias, por ser delimitado aos extremos pela Praia dos Bancários e pela Praia Congonhas do Campo, também conhecida como Praia do Barão, porque alí em uma chácara situada em frente ao atual Morro do Barão e entre a Freguesia e a Praia de Olaria residiu Guilherme Schüch, posteriormente Guilherme Capanema, o Barão de Capanema, tendo sido o morador mais ilustre do Bairro, nos tempos atuais Brito, o zagueirão da seleção do Tri e do Vasco é o seu mais conhecido morador.
O bairro dos Bancários faz divisa com os bairros da Freguesia, do Tauá, e do Cocotá.



O bairro do Cacuia

aparu - rio jequiá
Aparu - Rio Jequiá | Foto: Abdo Hamdam


Cacuia é um termo nativo que significa “morro em forma de cuia, arredondado”. Há também estudos que mostram que essa palavra pode ser associada ao dialeto Quicongo, aonde “Kankuia” significa cemitério. Para os Bantos, possui significado semelhante: morrer, acabar.
No século XIX, existiu na região a Fazenda São Sebastião, em 1871 a propriedade foi vendida à Marinha Brasileira, que instalou no local um depósito de munições e uma escola de aprendizes.
Decreto municipal de 1993 transformou o manguezal encontrado no bairro em Área de Proteção Ambiental e Recuperação Urbana – Aparu do Jequiá. Dentro da reserva fica a colônia de pescadores Almirante Gomes Pereira, conhecida como Z-10, ou simplesmente Colônia. No bairro encontramos o Cemitério da Cacuia, com 110 anos de funcionamento, o Grêmio Recreativo Escola de Samba União da Ilha do Governador, que surgiu no bairro, em 1953, além do famoso Relógio do Cacuia.
O Cacuia faz limite com os bairros do Cocotá, Jardim Guanabara, Jardim Carioca, Praia da Bandeira, Pitangueiras, Zumbi e Ribeira



O bairro do Cocotá

estação das barcas do Cocotá
Estação Cocotá | Foto: Ilha Notícias


Cocotá é um termo indígena que significa local da roças ou simplesmente roças, em referência ao cultivo dos seus primeiros ocupantes.
Onde hoje está o edificio Sobre as Ondas existia uma fabrica de cal ou caieira, sendo a região por isso mesmo conhecida como Praia da Olaria. Na década de 70, ali no Cocotá ficava a garagem dos bondes que começou a circular na Ilha em 1922, inicialmente no trecho entre Cocotá e a Ribeira, depois veio a linha 2 unindo o Cocotá à Freguesia, mais tarde a linha foi estendida até o Bananal. A Garagem está preservada embora com outro uso, fica alí na esquina da Estrada da Cacuia com a Rua Capitão Barbosa.
Hoje o Cocotá conta com inúmeras linhas de ônibus que cruzam o bairro em direção a outros bairros da Ilha, ao centro da Cidade e bairros da zona norte. Existe também uma linha de ônibus intermunicipal ligando o bairro até Vilar dos Teles passando pela cidade de Duque de Caxias.
Conta ainda com o terminal hidroviário do Cocotá com barcas saindo em direção a Praça XV, com pouquissimos horários e sem funcionar nos finais de semana e feriados, um verdadeiro desserviço à população insulana.
Roberto Dinamite, artilheiro do Vasco e até hoje o maior artilheiro do campeonato Brasileiro, já foi um dos moradores do bairro, assim como o saudoso Luiz Gonzaga, o rei do baião, que compôs e gravou a música Cocotá exaltando o bairro e sua praia.
O Cocotá tem como bairros vizinhos o Tauá, os Bancários, o Jardim Carioca, a Praia da Bandeira e o Cacuia.



O bairro da Freguesia

Praia da Guanabara - Freguesia - Ilha do Governador
Praia da Guanabara na Freguesia | Foto: Abdo Hamdam


O nome Freguesia deve-se à uma Ermida [atual Santuário de Nossa Senhora da Ajuda}, erguida no fim do século XVII, por Jorge de Souza, o Velho, em terras de seu engenho. Vem desse tempo, a pequena imagem da Santa colocada por seu fundador. Em 1710, foi criada a Freguesia de Nossa Senhora da Ajuda e a ermida, já em ruínas, teve sua reconstrução realizada entre os anos de 1743 e 1754 já na atual praça Calcutá. Destruída por um incêndio em 1816, foi recuperada em 1865, pelo arquiteto Antônio de Pádua e Castro
O bonde que ligava em 1922 a Ribeira ao Cocotá, estende-se em 1935, pela avenida Paranapuã, chegando à localidade do Bananal, no término da praia da Guanabara, onde fazia o retorno. A Praia da freguesia [oficialmente a Praia da Guanabara} é um ponto importante de lazer da comunidade e tem vista privilegiada para a Baía de Guanabara e para a Serra dos Órgãos, onde se destaca o Dedo de Deus.
No fim da praia, desde 1920, há uma estátua no formato de um felino, a conhecida Pedra da Onça, conta a lenda que um gato-do-mato, animal semelhante a uma onça e chamado pelos temiminós de maracajá, teria morrido no local, depois de esperar, em vão, o retorno de sua dona, que teria se afogado. A tão falada onça não passa, na verdade, de um gato maracajá
Os Bancários é o único bairro que faz limite com a Freguesia, bairro que tem grande parte de sua área ocupada pelos 3 Batalhões de Fuzileiros localizados nesta extremidade da Ilha.



O bairro do Galeão

Aeroporto do Galeão - Ilha do Governador
Aeroporto do Galeão | Foto:


A toponímia do bairro deve-se à chamada Ponta do Galeão, assim denominada por ali ter sido localizado o estaleiro que, no século XVII, construiu o Galeão Padre Eterno. O Galeão fez sua primeira viagem atravessando o oceano Atlântico em 1665 e, chegando a Lisboa, impressionou os governantes portugueses por seu porte e qualidade. Foi então considerado o maior navio do mundo.
Em 1920, a aviação naval foi instalada no Galeão, recebendo aviadores famosos como os italianos Arturo Ferrarin e Carlo del Prete este, vítima fatal de um acidente no local. No governo de Getúlio Vargas, foram assinados vários decretos cedendo a parte ocidental da ilha às instalações da Aeronáutica. O ministro Salgado Filho deu novas dimensões à Base do Galeão, projetando a ponte que ligaria a Ilha à Avenida Brasil, inaugurada em janeiro de 1948, com a colaboração do prefeito Mendes de Morais.
Em 1952, entra em operação, o Aeroporto do Galeão, substituindo a precária recepção existente até então. Em 20 de janeiro de 1977, foi inaugurado o atual terminal de passageiros número 1, que agregou o que havia de mais moderno e atual na época. A nova avenida Vinte de Janeiro, com viaduto sobre a estrada do Galeão, interligada à nova ponte fez a ligação com o novo terminal. A ampliação das pistas em direção nordeste aterrou e terraplanou grandes áreas ao norte da Ilha, dando feição ao atual contorno da orla norte/ocidental.
O uso residencial do bairro do Galeão basicamente é limitado as Vilas dos Oficiais e dos Sargentos da Aeronáutica e às comunidades da Vila Joaniza ou "Barbante", surgida em 1984, que é a maior e está situada na estrada das Canárias, a do Caricó e a da Águia Dourada.
O Jardim Guanabara e a Portuguesa são os bairros que fazem divisa com o Galeão, bairro que assim como a Freguesia, tem grande parte de sua área ocupada pelas instalações da Aeronáutica e pelo Aeroporto Internacional do Galeão [Oficialmente Tom Jobim].
Curiosidade: A inauguração da 3ª etapa da Linha Vermelha em setembro de 1994, finalmente fez a ligaçao direta da Ilha com o continente, já que antes era ligada a Ilha do Fundão para depois alcançar o continente.



O bairro do Jardim Carioca

Ilha Plaza Shopping - Ilha do Governador
Ilha Plaza Shopping | Foto: Money Times


A origem e o nome do bairro, Jardim Carioca, vem de um projeto de arruamento e loteamento, em terreno de propriedade da Companhia Geral de Habitações e Terrenos, em 1929.
Grande parte da área do bairro está localizada nos morros do Guarabú, do Dendê e o do Fundo da Grota, neles existem uma infinidade de pequenos comércios e serviços que atendem a população local, contudo nos seus limites, Estrada do Galeão, Avenida Maestro Paulo e Siva e Estrada do Dendê existe uma gama variada de de comércio, como supermercados, atacadistas, e o principal shopping da Ilha, o Ilha Plaza, no setor de serviços encontramos agências bancárias, academias, serviços automotivos e outros. No bairro também existe uma universidade, a Estácio de Sá. Também no Jardim Carioca está localizada a sede da sub-prefeitura da Ilha do Governador.
O Jardim Carioca tem divisa com os seguintes bairros: Jardim Guanabara, Portuguesa, Moneró, Tauá, Cocotá e Cacuia.
Curiosidade: O Jardim Carioca é o unico bairro insulano que não tem uma praia, estando isolado do mar pelos outros seis bairros com os quais faz divisa.



O bairro do Jardim Guanabara

Praia da Bica - Ilha do Governador
Praia da Bica | Foto: TripAdvisor


O Jardim Guanabara é um bairro de classe média alta sendo o mais valorizado não só da Ilha, como de toda a zona norte carioca. Conta com grandes casas e luxuosos apartamentos, Surgiu em 1936, quando o terreno da extinta Fábrica de Produtos Cerâmicos Santa Cruz foi loteado pela Companhia Imobiliária Santa Cruz que deu ao bairro as suas feições atuais de ruas sinuosas, construções de alto padrão e com uma vista inigualável da Baía de Guanabara e de alguns pontos turísticos do Rio tais como, o Corcovado, o Pão de Açucar, a Igreja de Nossa Senhora da Penha e a ponte Rio Niterói.
A Praia da Bica, é a principal, mais famosa e a terceira maior praia da Ilha do Governador. Possui aproximadamente 2 quilômetros de extensão nome derivado de um chafariz colonial instalado numa pequena elevação, é um dos pontos mais movimentados da vida noturna do bairro. Ao longo da praia há quiosques e restaurantes, tornando-se um freqüentado ponto de encontro dos moradores. A Capela Imperial Nossa Senhora da Conceição é o ponto histórico do bairro, datada do século XVIII, sendo chamada de "igrejinha", devido a seu pequeno tamanho.
O Galeão, a Portuguesa, o Jardim Carioca e o Cacuia são os bairros limítrofes ao Jardim Guanabara.
Curiosidade: O Jardim Guanabara possui o 3ª IDH do municipio do Rio de Janeiro ficando atras apenas da Gávea e do Leblon.



O bairro do Moneró

Moneró - Corredor Esportivo - Ilha do Governador
Moneró - Corredor Esportivo | Foto: Abdo Hamdam


O Moneró, inicialmente Jardim Ipitanga, teve seu início com um loteamento lançado em 1956, loteamento este feito em terras de propriedade do italiano Francisco Moneró, contudo como nas placas publicitárias do loteamento constavam o nome dos diretores da empresa responsável, Eloy e Helio Moneró, a população começou a se referir ao local como Moneró, nome que foi definitivamente oficializado quando da criação dos bairros da Ilha.
Predominantemente residencial, o Moneró é considerado um dos melhores bairros da Ilha do Governador, em função de sua diversificação urbana e infra-estrutura, tendo o segundo melhor IDH da Ilha.
Em 1989, foi criado o Corredor Esportivo do Moneró, [Oficialmente de Parque Professor Roy Robson] na orla da Avenida do Magistério, ao longo da Praia do Dendê, com quiosques e áreas de lazer e esporte, com o belo panorama da Baía de Guanabara e a Serra dos Órgãos ao fundo.
O Moneró tem como seus vizinhos os bairros do Tauá, do Jardim Carioca e o da Portuguesa.
Curiosidade: Você sabia que o GIC, Governador Iate Clube, está localizado numa ilha e que não é a Ilha do Governador?



O bairro das Pitangueiras

Pitangueiras - Ilha do Governador
Pitangueiras | Foto: Abdo Hamdam


Ao contrário do que se possa imaginar, o nome do bairro não vem desta árvore já que a mesma era inexistente no local, mas vem do dialeto indígena PYTY–NGUÊ-RA, que tem o significado de apertado, afogado.
O bairro surgiu da ocupação ao longo da linha do mar e do caminho dos antigos bondes, tendo o primeiro loteamento do local ocorrido em 1940. O bairro é bastante arborizado, sendo estritamente residencial, com o comércio praticamente inexistindo na região.
Sua orla, a praia da Pitangueiras, possui pequena faixa arenosa, que aumenta nas marés baixas.
Em 1920, foi construído um forte na Ponta do Tiro, onde foram instalados um canhão e o mastro da bandeira.
Os bairros vizinhos são os bairros da Praia da Bandeira, do Cacuia e do Zumbi.
Curiosidade: Sim você já leu acima, a Ponta do Tiro apesar de ter uma vista privilegiada da praia da Bandeira está localizada no limite do bairro das Pitangueiras



O bairro da Portuguesa

Estádio Luso Brasileiro - Portuguesa - Ilha do Governador
Estádio Luso Brasileiro - Portuguesa | Foto: Esporte R7


Em 1961, a Companhia Imobiliária Santa Cruz criou na região o Jockey Club Guanabara. Com as restrições impostas a corridas de cavalos no governo Jânio Quadros, o empreendimento fracassou e suas instalações foram adquiridas pela Associação Atlética Portuguesa, que criou em 1965 o estádio de futebol Luso-Brasileiro.
Portanto, a origem do bairro é associada à A. A. Portuguesa, e sua urbanização é recente: em 1965, foi aberta a rua Haroldo Lobo, em 1966 a rua Gustavo Augusto de Resende, e a partir da década de 1970, sua expansão aumentou com mais força. Em 1976, houve o loteamento de grande terreno entre a avenida Maestro Paulo e Silva e a estrada de Tubiacanga, com 266 lotes, 12 ruas e várias praças, com traçados curvilíneos, dando origem ao Condomínio Village da Ilha, construído pela Cooperativa Habitacional da Ilha do Governador e é composto por 8 blocos com 1276 apartamentos e 514 casas.
O Galeão, o Jardim Guanabara, o Jardim Carioca e o Moneró são os bairros que fazem divisa com a Portuguesa.



O Bairro da Praia da Bandeira

Praia da Bandeira - Nascer do sol - Ilha do Governador
Praia da Bandeira - Nascer do sol | Foto: Danielle Azevedo


A antiga localidade da Tapera, surgida em meados de 1890, por ruas entre a praia e o morro, compõe o que é hoje o bairro da Praia da Bandeira. que surgiu efetivamente com o lançamento, em 1931, de um loteamneto feito pela Cia. Territorial da Ilha do Governador. Nos anos 1950, a Indústria de Água Mineral Fontana, instalada há uma década na área, inaugurou a única estação de águas da cidade, batizada de Parque Fontana.
O nome do bairro tem origem na bandeira hasteada no forte da Ponta do Tiro numa das extremidades da Praia da Bandeira. O bairro homenageia, com o nome de sua principal rua, o antigo morador da região, o Capitão Barbosa.
A praia que dá nome à localidade fica na extremidade leste da Ilha do Governador e é onde se encontram os imóveis mais valorizados do bairro. Ao longo da praia, há uma bela vista da Baía de Guanabara
São 3 os bairros que fazem divisa com a Praia da Bandeira. a saber, o Cocotá, as Pitangueiras e o Cacuia.
Curiosidade: A Praia da Bandeira é o 3º menor bairro do Rio de Janeiro e o 2º menor da Ilha.



O bairro da Ribeira

Praça Iaiá Garcia - Ribeira - Ilha do Governador
Praça Iaiá Garcia - Ribeira | Foto: Ilha Carioca


A Fazenda da Ribeira, do século XIX, deu nome ao bairro. Foi ali que, em 1914, se instalaram a Shell e a Esso. Nos anos 1920, a Companhia de Melhoramentos da Ilha do Governador colocou em circulação o bonde elétrico, com linha entre a Ribeira e o Cocotá, o que permitiu a integração com o transporte marítimo na ponte de atracação de barcas, na Ribeira, que durante anos foi entrada dos insulanos que vinham nas barcas que faziam a ligação Ilha-Praça XV. Hoje em dia, a nova estação que faz ligação com a Praça XV, situa-se no Cocotá.
A Ribeira está localizada num dos extremos da Ilha, assim como a Freguesia, ficando isolada do restante da ilha, porém é considerada o centro de sua boemia tendo vários bares, quiosques e restaurantes, sendo muito frequentado pelos insulanos.
No bairro encontramos duas pequenas praias, a Praia da Ribeira e Praia da Engenhoca, nele tambem está localizada a Igreja da Sagrada Família, construída em 1913 numa elevação conhecida como Morro do Ouro, sendo por isso mesmo chamada popularmente de Igreja do Morro do Ouro ou simplesmente Igreja do Ouro.
Assim como a Freguesia a Ribeira faz limite com um único bairo, o Zumbi.



O bairro do Tauá

Praia da Rosa - Tauá - Ilha do Governador
Praia da Rosa - Tauá | Foto: Central da Fisioterapia


A palavra Tauá, em indígena, significa “barro vermelho”. Outra versão é TA-OÁ, “aquele que é redondo”.
No século XX, iniciou-se a urbanização da região, ao longo da estrada da Freguesia [Atual Avenida Paranapuã] e da estrada do Dendê. Na década de 1930, três projetos de arruamento cobrem praticamente toda a área ocupada pelo bairro, o primeiro como extensão das ruas do loteamento Jardim Carioca, nas proximidades da rua do Minho, o segundo em torno das ruas Eutíquio Soledade e professor Hilarião da Rocha e o terceiro junto a rua Maici.
Com a abertura destes locais, o Tauá foi sendo ocupado. Seu acesso foi facilitado pela inauguração do bonde elétrico, com a linha Ribeira-Cocotá, estendida até o bairro a partir de 1935, indo até a Freguesia, passando pela Avenida Paranapuã. Foi extinta em 1964, substituída por linhas de ônibus.
Em 1969, foi inaugurada uma grande Estação de Tratamento de Esgotos da Cedae, próxima às ruas Eutíquio Soledade e Domingos Mondim, e em 1985, implantada uma Estação da Light, em faixa próxima ao mar.
Destacava-se no bairro a pequena e bela Capela de Santo Antônio, cujo início de construção pela comunidade data de 1939, e que foi posta abaixo pela "igreja" para construir o atual monstrengo que temos na Rua Capanema.
O Tauá se limita pelo Cocotá, pelo Jardim Carioca, pelo Moneró e pelo Bancários.
Curiosidade: O Morro do Dendê é assim chamado porque os migrantes nordestinos, na ocupação da região, nos anos 1940, encontraram no local uma plantação desse tipo de coqueiro.



O bairro do Zumbi

enseada-do-zumbi - Ilha do Governador
Enseada do Zumbi - Ilha do Governador | Foto: Abdo Hamdam


Na tradução do termo indígena para a língua portuguesa, significa “os quadris femininos”. O nome foi dado devido ao formato sinuoso da praia. É um dos bairros mais antigos da Ilha do Governador. Registros históricos indicam que, entre 1872 e 1877, já existia uma pequena companhia de teatro particular na localidade. Em 1900 começou, ali, a ser publicado o primeiro jornal de bairro, chamado O Suburbano. Além do Parque Almirante Sousa e Melo, o Zumbi conta, também, com outras opções de lazer, como o Jequiá Iate Clube, de 1919
O Zumbi tem divisa com os bairros do Cacuia, as Pitangueiras e a Ribeira.
Curiosidade: O Zumbi é o menor bairro não só da Ilha do Governador, mas tambem de todo o município do Rio de Janeiro.



Atenção
Encontrando algum telefone ou endereço desatualizado por favor nos informe pelo nosso WhatsApp clicando aqui whatsApp